Aguia Resources encontra novo alvo de fosfato no projeto Rio Grande

January 9, 2015

A Aguia Resources divulgou hoje (8) novas descobertas de fosfato dentro do projeto Rio Grande, no Rio Grande do Sul, com teores que chegam a 20,4% de pentóxido de fósforo (P2O5). O novo alvo, nomeado Cerro Preto, está localizado próximo aos depósitos Três Estradas e Joca Tavares, que também pertencem ao projeto.

 

 

Segundo a empresa, a mineralização está relacionada ao fosforito preto encontrado em formações de arroio marmeleiro, em uma área que se estende cerca de 30 quilômetros na direção do corpo mineral e por cinco quilômetros de largura.

 

De acordo com comunicado ao mercado desta quarta-feira, até o momento, três leitos de fosforito preto foram mapeados no alvo Cerro Preto, ao longo de uma direção do corpo mineral que varia de 700 metros a cinco quilômetros e espessura aparente de 50 a 200 metros.

 

Segundo a Aguia, os resultados, que pode ser considerados “animadores”, foram obtidos através de amostragem litogeoquímica sistemática, incluindo ensaios com teores de até 20,4% de P2O5.

 

Seguindo o mapeamento geológico inicial, duas trincheiras foram escavadas e retornaram resultados positivos. A primeira, CH-02, interceptou 17,5 metros com teor de 10,3% P2O5, incluindo 5 metros com teor de 15,52% P2O5. A segunda trincheira, CH-03, interceptou 2 metros, com teor de 10,94% P2O5 e 8,5 metros com teor de 9,83% P2O5.

 

De acordo com o diretor técnico do projeto, Fernando Tallarico, esta nova descoberta reflete a dedicação da nossa equipe técnica da Aguia. Segundo ele, os teores do alvo Cerro Preto lembram os do distrito de fosfato Idaho, nos Estados Unidos, onde vários importantes depósitos de fosfato comerciais estão agrupados em um ambiente geológico semelhante ao do projeto Rio Grande.

 

“Estes resultados iniciais são extremamente promissores e outros programas de exploração, incluindo sondagem, estão sendo planejados com a intenção de definirmos os recursos", disse Tallarico.

 

Segundo o diretor administrativo da Aguia, Prakash Hariharan, o programa de exploração no projeto Rio Grande continua proporcionando resultados “excepcionais”.

 

“As descobertas realizadas nos depósitos Três Estradas, Joca Tavares e agora Cerro Preto reforçam a nossa tese de que há potencial para um campo de produção, com vários depósitos desenvolvidos nesta área, onde hoje a demanda de fosfato é totalmente dependente de importações", disse Hariharan.

 

A Aguia Resources é uma empresa de desenvolvimento de fertilizantes, com projetos de fosfato e potássio no Brasil. A empresa possui os projetos de fosfato Rio Grande, no Rio Grande do Sul, Lucena, na Paraíba, e Mata da Corda, em Minas Gerais. Em Sergipe, a mineradora explora potássio através do projeto Atlantic.

 

Fonte: Aguia Resources

Please reload

Featured Posts

Gerências da ANM se Manifestam

October 16, 2019

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

Search By Tags