Anglo economiza R$ 23 Mi por ano com moinhos verticais em Minas-Rio

A operação de minério de ferro Minas-Rio, da Anglo American, possui um circuito de remoagem que utiliza a tecnologia de moinhos verticais no processo de beneficiamento de minério de ferro. A utilização dos moinhos Vertimill permitem uma economia de cerca de 30% de energia elétrica e, consequentemente, de aproximadamente R$ 23 milhões por ano, segundo nota enviada hoje pela mineradora.

 

 

O circuito compreende duas linhas de remoagem, compostas cada uma por oito moinhos Vertimill, fabricados pela Metso, com potência de 1,1 megawatt (MW) cada, e quatro baterias de ciclones para classificação do minério de ferro.

“O uso dos moinhos Vertimill tem permitido uma redução no consumo de energia elétrica superior a 30% se comparado à opção tradicional com moinhos de bolas. O Minas-Rio utiliza 17,9 MW de potência em seu processo de remoagem enquanto a aplicação com moinhos de bolas seria de 25,6 MW, o que representa uma economia significativa de 7,7 MW”, afirmou Rodrigo Vilela, diretor de Operação do Sistema Minas-Rio, da Unidade de Negócio Minério de Ferro Brasil da Anglo American.

O executivo disse que, considerando os custos de energia, demanda e encargos setoriais relativos à utilização do circuito de remoagem, ou seja, os custos totais sem impostos, a economia financeira é de aproximadamente R$ 23 milhões por ano.

O uso dos moinhos Vertimill, segundo a Anglo, reduz a geração de ultrafinos, a emissão de ruído e a quantidade de periféricos. Os equipamentos também proporcionam bases civis mais simples e maior segurança devido à menor exposição de partes móveis.

O moinho Vertimill é formado por um cilindro vertical carregado de corpos moedores. Em Minas-Rio, são utilizadas bolas de aço cromo de 12,5 milímetros (mm). Uma espiral instalada no centro desse cilindro movimenta os corpos moedores para promover a redução das partículas por meio da alta frequência de impactos de pequena energia e do atrito entre os corpos moedores.

O moinho é capaz de processar minérios com dimensões na alimentação de até 6 mm e moer produtos menores que 20 micrômetros. A granulometria do minério de ferro do Minas-Rio, ao final do processo de remoagem, é de 80% menor que 36 micrômetros, de acordo com a Anglo.

O fluxo de polpa de minério de ferro nos moinhos Vertimill é alimentado pela parte inferior do equipamento e o produto resultante do processo é transbordado pelo topo em direção ao espessador de concentrado, última etapa do processo de beneficiamento do Sistema Minas-Rio.

A operação Minas-Rio está em fase de ramp-up para atingir a capacidade de produção nominal de 26,5 milhões de toneladas de minério de ferro por ano no segundo trimestre de 2016. As informações são da assessoria de imprensa da Anglo American.

Please reload

Featured Posts

Gerências da ANM se Manifestam

October 16, 2019

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

Search By Tags