Cleveland capta US$ 2 milhões para expandir mina de ouro em Goiás

A Cleveland Mining avança com a estratégia de aumentar a produção de ouro e o fluxo de caixa no Brasil, por meio da mina Premier, em Crixás (GO). A mineradora informou que levantou aproximadamente US$ 1,89 milhão com um programa de notas promissórias vinculadas a royalties e por meio de um acordo de venda antecipada de ouro. Os fundos serão usados na expansão da mina Premier.

 

 

Segundo informações de comunicado enviado ao mercado, o programa de notas promissórias vinculadas à receita gerada com royalties resultou em um total de US$ 1,39 milhão para os cofres da empresa. A Cleveland disse que a subscrição parcial do programa, feita pelo diretor administrativo David Mendelawitz, permitiu que a empresa continuasse com as atividades de expansão em Premier durante o processo de levantamento de capital.

A mineradora canadense fechou um acordo off-take com uma refinaria de ouro, para venda antecipada da produção da mina brasileira, no valor de US$ 500 mil. A Cleveland disse que esse contrato permite que a empresa receba pagamentos antecipados de até US$ 500 mil para embarques de ouro durante os próximos 11 meses.

A expansão das operações em Premier incluem um aumento do circuito de gravidade de 40 para 100 toneladas por hora, incluindo flotação, por meio da instalação de um novo britador de mandíbula, britador cônico e moinho de bolas. A previsão é que todos os equipamentos sejam instalados e a capacidade expandida no terceiro trimestre deste ano. O objetivo da mineradora é produzir 40 mil onças de ouro por ano, durante seis anos.

Também como parte da expansão de Premier, a Cleveland vai adicionar um novo circuito de flotação para tratar diretamente os rejeitos do circuito de gravidade, que será separado do atual circuito de flotação da mina. O novo circuito deve ser instalado no quarto trimestre de 2015 e terá um custo mais baixo do que o esperado pela mineradora, devido à decisão de reduzir o investimento de capital, com tecnologia de células modulares de flotação.

A companhia australiana, ainda como parte da expansão de Premier, pretende aumentar os recursos de ouro da mina por meio de uma campanha de sondagem, que será financiada com o fluxo de caixa da empresa. A Cleveland pretende realizar a sondagem no fim do terceiro trimestre deste ano.

“A instalação de uma planta nova e expandida vai permitir que a operação concretize seu potencial e alcance as metas de produção que definimos. Com a expansão em Premier a todo vapor, nós antecipamos que a conclusão da planta ocorrerá neste trimestre, projetando uma forte perspectiva para a Cleveland para o ano financeiro de 2016 e outros pela frente”, disse Mendelawitz.

A mineradora também informou no comunicado de hoje que o empréstimo de US$ 6,8 milhões com o Platinum Capital Partners, principal credor da Cleveland, foi estendido em um ano, passando de setembro de 2015 para setembro de 2016. Em troca da extensão da data de vencimento, a mineradora terá que pagar 2% de royalties de tudo que for produzido em Premier para o Platinum. Os royalties podem ser recomprados a qualquer momento, durante dois anos, por US$ 1,5 milhão.

A Cleveland opera a mina de Premier por meio de uma joint venture com a Edifica Participações, em que a mineradora detém 60% de participação. A companhia australiana possui ainda a mina de ouro O Capitão, que também fica em Crixás (GO). A Cleveland também detém opção para adquirir os projetos de minério de ferro Minas Nova, em Minas Gerais, e Bahia, no Estado de mesmo nome, que pertenciam à Bahia Mineral Exploration (Bahmex).

Please reload

Featured Posts

Gerências da ANM se Manifestam

October 16, 2019

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

Search By Tags