Votorantim e parceiras gastaram US$ 50 Mi com projeto polimetálico no Mato Grosso

O projeto Aripuanã, no Mato Grosso, que é uma parceria entre Votorantim Metais, Karmin e a peruana Milpo, já recebeu investimentos de US$ 50 milhões ao longo do desenvolvimento. O empreendimento está em fase de campanha de sondagem e atualização de estimativa de recursos minerais, ao mesmo tempo em que são feitos estudos de engenharia.

 

 

 

Em comunicado ao mercado nesta sexta-feira (8), a Karmin disse que a campanha de sondagem diamantada segue no projeto Aripuanã. No ano passado, foram 21.500 metros e 71 furos de sondagem. Para este ano, estão planejados mais 22 mil metros. Desde que os trabalhos de pesquisa começaram, são mais de 500 furos de sondagem diamantada em uma área total de aproximadamente 165 mil metros.

Aripuanã é um projeto polimetálico que prevê a exploração e o beneficiamento de zinco, chumbo e cobre, na Serra do Expedito, que fica a 25 quilômetros da cidade de Aripuanã (MT). A Votorantim Metais possui 70% do projeto, por meio de uma joint venture com a peruana Milpo, e a Karmin possui os 30% restantes. A VM também possui 60% da Milpo. O projeto vai custar R$ 700 milhões.

As companhias trabalham na elaboração do relatório técnico NI 43-101. A empresa RPA foi contratada para fazer a atualização de recursos minerais de Aripuanã e a Worley Parsons trabalha na análise de gap e estudos de trade off.

Em outubro do ano passado, a Karmin publicou um comunicado detalhando o Estudo de Impacto Ambiental de Aripuanã, com base em relatório da Milpo. No mês seguinte, porém, a empresa disse que os números foram descartados e não devem ser considerados, porque não cumprem com as exigências do padrão NI 43-101.

O documento, que foi enviado à Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Mato Grosso (Sema/MT) na época, previa uma mina subterrânea com capacidade de 5 mil toneladas por dia e vida útil de 15 anos, com produção de 65 mil toneladas de zinco, 25 mil toneladas de chumbo e 5 mil toneladas de cobre em concentrado.

Os recursos medidos e indicados de Aripuanã, atualizados em 2012, são de 19,1 milhões de toneladas, com 3,87% de zinco, 1,38% de chumbo, 0,3% de cobre, 0,25 grama de ouro por tonelada e 36 gramas de prata por tonelada. Os recursos inferidos são de 14,7 milhões de toneladas, com 4,8% de zinco, 1,7% de chumbo, 0,3% de cobre, 0,4 grama por tonelada de ouro e 39 gramas de prata por tonelada.

Please reload

Featured Posts

Gerências da ANM se Manifestam

October 16, 2019

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

Search By Tags