Anglo American vende negócios no Brasil para empresa chinesa

A mineradora global Anglo American informou que fechou acordo para vender seus negócios de nióbio e fosfatos, com ativos localizados no Brasil, para a China Molybdenum por US$ 1,5 bilhão em dinheiro, com o objetivo de reduzir suas dívidas.


O grupo está vendendo partes ou unidades inteiras em uma estratégia drástica de reestruturação para fazer frente à queda nos preços da commodities, que tem abalado as finanças das grandes mineradoras globais. O objetivo é vender pelo menos US$ 3 bilhões em ativos ainda neste ano.


O acordo com a empresa chinesa ainda depende da aprovação dos reguladores na China. A Anglo também está negociando a venda das operações com níquel no Brasil e algumas minas de carvão na Austrália.


Os negócios de nióbio e fosfatos são compostos por minas, plantas, unidades de processamento, complexos químicos e depósitos localizados no Brasil. As operações geraram receita de US$ 544 milhões e lucros operacionais de US$ 119 milhões no ano passado.


Em fevereiro, a Anglo anunciou uma revisão estratégica abrangente para enfrentar a queda dos preços das commodities.


A empresa planeja se concentrar no seu negócio de diamantes De Beers e nas operações de platina e cobre, em uma tentativa de livrar-se de commodities de menor valor, que têm dado prejuízo.


A Anglo detém cerca de 70% da Kumba Iron Ore (KIO), maior produtora de minério da África, que está avaliada em US$ 4,6 bilhões, segundo dados da Thomson Reuters. A Anglo disse que começou a analisar opções para sair da KIO e que analisa ainda opções para vender o Minas-Rio daqui aproximadamente três anos.

#mineração

Featured Posts